Barcelona

Barcelona é definitivamente a Capital do momento, das Ramblas ao Barri Gotic, passando pelo Parc Guell, acabando na Barceloneta quilometros percorridos por entre a animação Catalã. Toda esta "correria" não teria sido possível sem uns ombros amigos.

Ninguém fica indiferente a Barcelona. A cidade das artes e do Design, capital da criatividade, mostra todo o seu charme enquanto lança novas tendencias. Na elegancia do bairro de Eixample ou nas alternativas ruelas do Barri Gotic, sinto uma empatia natural por esta cidade talvez pela semelhança que encontro entre Portugueses e Catalães, so nao lhes falem no Figo.

Sinto o pulso á cidade na Plaça de Catalunya. Deixo as Ramblas para mais tarde e parto para o Passeig de Gracia. Impressiona-me a forma como esta cidade foi desenhada e esta Avenida é um grande exemplo desse ordenamento, por aqui não se vêem tuneis como noutras congéneres europeias e até o pormenor dos postes em ferro fundido levam-nos para o imaginário de outras épocas. Muito bom! Perante tantas lojas, as mais sofisticadas e chiques da cidade, nao consigo conter o meu lado consumista e.... deixo-me ir. Não se pense que o Passeig de Gracia se fica pela futilidade das compras, nada disso, tem o braço dado com as maiores referências culturais da cidade, Casa Milà (aka La Pedrera) e Casa Batlò, obras referência de Gaudi. Visito o Museu de Gaudi que fica precisamente na Pedrera e percebo um pouco melhor a grandiosidade da sua obra. Obrigatoria a subida ao terraço, onde se consegue ter uma ideia do ordenamento do L´Eixample. Este Edificio constitui uma grande lição de Design e Arquitectura. Gaudi é Gaudi venham à La Pedrera.

Seguindo por Gracia acima, faço um pequeno desvio para a Sagrada Familia, o maior icone de Gaudi e Barcelona, opto por não visitar o interior, é caro, está apinhado de turistas e nao quero perder a tarde aqui, ja me disseram que vale a pena e já me disseram o contrário. A Catedral é sem duvida a mais impressionante que conheço, não tão grande como a Basílica de São Pedro, em Roma, ou Saint Paul em Londres, mas francamente mais bonita e imponente. Final de tarde a passear pelo L´Eixample, a fome aperta, janto por aqui, socorro-me do Lonely Planet e encontro nas proximidades um restaurante com um nome sugestivo, Casa Amália, ainda pensei que fosse Português, mas não, não descubro a origem do nome mas descubro um Bacalhau que em Portugal tenho de procurar muito para encontrar.

Ramblas, El Raval e Barri Gotic. Este triangulo forma o lado sul de Barcelona, onde esta se cola ao mediterrâneo, são aqui os quarteirões do "andamento" (cuidado com as carteiras), muita gente, Restaurantes, Lojas, Bares, tudo com muito estilo.

O Barri Gotic é o local de Barcelona mais á minha medida e imagem. Das imensas lojas, umas de artesãos, outras de design, todas com muito estilo, cada uma mais surpreendente que a outra e o giro é isso, ir descobrindo. E as Igrejas, lindas!! (a Catedral "oficial" é aqui), e os artistas de rua, espectaculares!!
A noite por aqui é efervescente, bares e restaurantes "hipe" porta sim porta sim. Jantei no Cometacinc, restaurante de fusão em ambiente medieval, gostei da comida mas este espaço vale pelo ambiente, a companhia era de luxo, a noite tornou-se inesquecivel. O jantar soube-me muito bem, cá fora a musica e a animaçao estão ao rubro, ainda para mais o Barça ganhou 5-0 e os Catalães estão mais alegres que nunca, se é que conhecem a palavra nunca.
A Arte está por todo o lado, seja num candeeiro, num mosaico de Miró ou numa escultura de Lichtenstein, que embelezam ainda mais estas ruas.

Do outro lado das Ramblas temos El Raval, também alternativo e cativante, é aqui que mora o meu Restaurantes preferido de Barcelona (dos poucos que conheço), chama-se Organic e tem por lema "we are what we eat". Imaginem um refeitório chique, com um ambiente jovem e descontraído e comida vegetariana, da melhor que já provei. A Cozinha deixa-nos ver o seu interior onde escolhemos o nosso prato quente, há quatro diferentes por dia, depois podemos servir-nos do buffet numa grande mesa, e que buffet, tudo isto por 10€. Para ir sem complexos, ah e passem pelo wc. Mais "Trendy" que isto não há.
Nas traseiras do Organic fica o mercado de la Boqueria. Que deslumbre as paletes de cor que formam os frutos arrumados milimetricamente, os aromas e os sabores tambem nao nos deixam indiferentes, apostei que ninguem conseguia passar por aqui sem gastar dinheiro e ganhei! Alguns aproveitam para almoçar por ali mesmo, sentados em qualquer banco vago ou mesmo no chão. Vale mesmo a pena ir, assim como no Gotic o Mercado de Santa Caterina, este com a particularidade de nos dar nova liçao de Design, realmente aqui não se brinca, inesquecivel o telhado de telhas coloridas.

Guardei o Parque Guell para o fim. É visita obrigatoria apesar de estar um pouco afastado do roteiro turistico, é aqui o melhor local para avaliar a criatividade de Gaudi, os famosos mosaicos estão por toda a parte e dão ainda mais côr a este lugar. As vistas sobre a cidade são fantásticas e estendem-se até ao mar. Se puderem venham ao Domingo, quando se enche de gente de todas as idades, religioes e origens, não fosse esta uma cidade do Mundo.

Vou ter de terminar, havia muito mais para escrever sobre esta cidade, mas fica para uma próxima oportunidade. Barceloneta, Montjuic, a Marina, as Igrejas, o taxista que nos "sequestrou" para o restaurante do amigo Galego que serve a melhor carne de toda a cidade (infelizmente perdi esta morada), a Tour no autocarro turístico, os homens estátuas nas Ramblas ou os artistas de rua no Gótic, Barcelona é uma cidade para ir descobrindo, cada vez que lá volto há coisas novas para ver. Há muitos locais no Mundo que quero conhecer, mas pelo meio arranjarei sempre tempo para aqui voltar.


Voo Vueling a 40€ (já com taxas), Medium Abalon Hotel a 60€/duplo/noite. City Park Hotel Sant Just a 50€/duplo/noite.

Organic - Calle de la Junta de Comerç 11 (El Raval, proximo das Ramblas)

Casa Amalia - Passatge Mercat, 4-6, proximo do cruzamento do Passeig de Gracia com La Diagonal

Cometacinc - Calle Cometa, 5 (Barri Gotic)