Portugal é uma pechincha

O jornal britânico "Telegraph" dedica esta semana um artigo ao turismo em Portugal e escolhe dez razões para visitar o nosso país em 2008.
O jornalista começa por alertar os viajantes ingleses para esquecerem o cliché das praias solarengas do Algarve e explorarem os "rios e lagos azuis, óptimos para a natação e pesca, os parques naturais, a refrescante mas subdesenvolvida costa Atlântica". A razão principal para fazer as malas de viagem com destino a Portugal é para o "Telegraph", o facto de Portugal ser o país mais barato da zona Euro e dá exemplos de preços, comparativamente a Espanha. Por exemplo, uma cerveja Heineken custa uma libra, menos 92 cêntimos do que no país vizinho. Em segundo lugar no top está a região alentejana, que é fácil de se visitar "de carro e de comboio": o "Telegraph" destaca a cidade universitária de Évora, bem como Vila Nova de Milfontes, "onde existe um novo resort que dá apoio a famílias inglesas".
A medalha de bronze pertence ao centro do país, mais concretamente ao Geopark Naturtejo, que une os municípios de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Nisa, Oleiros, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão, popular entre caminheiros e cicloturistas. E também à vila de Monsanto. Nas restantes posições deste "top-10" ficam, por ordem decrescente, o hotel de cinco estrelas Aquapura, no rio Douro, ou a Pousada de São Vicente, em Braga. O Algarve de luxo também não é esquecido: o jornal destaca o novo Hilton de Vilamoura. Recomendadas são igualmente as ilhas de Porto Santo e Madeira, destino ideal e barato para jovens ingleses que podem optar por voos "low cost" provenientes de aeroportos regionais da Grã-Bretanha. E os Açores, para quem aprecia o contacto com o Atlântico. Os Solares de Portugal e as rotas do vinho do Porto ficam colocados nos últimos dois lugares neste "top-10" do "Telegraph".