Lisboa à Prova

Foram ontem divulgados nos Paços do Concelho em Lisboa os resultados do Concurso Lisboa à Prova. António Costa, presidente da C.M.Lisboa esteve presente na cerimónia e entregou os prémios aos vencedores.
Ao longo de cinco meses foram feitas visitas anónimas aos restaurantes a concurso e depois da fase final que contou com uma mostra no Museu do Design, conheceram-se finalmente os vencedores dos 2ºs e 3ºs garfos.

Assim, os premiados com três garfos foram:
- CASA DA COMIDA
- ELEVEN
- PANORAMA (Hotel Sheraton)
- TAVARES
- VALLE-FLÔR (Hotel Pestana Palace)
- VARANDA DO RITZ (Hotel Ritz)

Os premiados com dois garfos:
- 100 MANEIRAS
- ADLIB
- A TRAVESSA
- ALMA
- BOCCA
- ESPAÇO AÇORES
- FAZ FIGURA
- FLORES (Hotel Bairro Alto)
- GEMELLI
- GUARDA REAL (Hotel Real Palácio)
- O POLEIRO
- SOLAR DOS PRESUNTOS
- SUITE
- TAMARIND

Aproveitando a boleia, deixo um pequeno resumo e algumas fotos da fase final do concurso, que decorreu no MUDE, Museu do Design em Lisboa e reuniu os 35 finalistas divididos pelos três dias do fim de semana de 20, 21 e 22 de Novembro.
A entrada custava 5€ e dava direito a uma degustação e uma prova de vinho. Dentro do recinto era possível comprar mais senhas por 2,5€ que davam direito a mais degustações, um pouco à semelhança de outros eventos do género. Para além das degustações disponíveis pelos restaurantes participantes haviam também provas de vinho a serem promovidas pela Viniportugal. Provas de vinho não será o termo exacto, pois aquilo foi mais vender vinho a copo. Para provar os vinhos, tive de insistir, antes de me encherem o copo. Às oito da noite (só lá estive no dia 20) já não havia vinhos brancos (vieram poucos, disseram-me) e nos tintos também não havia nenhum Douro (já acabou, disseram-me também). Os restantes vinhos iam sendo retirados de uma caixa e era uma lotaria o que nos podia calhar. Fui lá 3 vezes e encontrei sempre vinhos diferentes. Não se tratou, nem divulgou, bem o vinho naquela noite. Uma situação a melhorar em edições futuras.

Felizmente a vertente gastronómica foi mais agradável. De lamentar apenas o facto de nos restaurantes anunciados, tanto o Alma como o 100 Maneiras simplesmente não terem aparecido (foi a justificação que me deram, quando coloquei a questão). Eram dois nomes de peso que concerteza atraíram bastantes pessoas para aquele dia.
Dos restantes, apesar de nestas situações ser um pouco ingrato divulgar uma cozinha, visto que nem o serviço nem as condições em que se degusta são as ideais, mas pelo menos serve para um primeiro contacto e ficar, ou não, com vontade de conhecer o restaurante.
Apesar de tudo, uma iniciativa interessante para divulgar a restauração lisboeta. Uma palavra final para o espaço, que num cenário industrial, criou um ambiente cool e confortável. Parabéns à organização e aos vencedores.