L'AND Vineyards (Montemor-o-Novo, Alentejo)









Sopa de Peixe da Costa Vicentina, Lagostim Assado e Croquete Cremoso de Ostra. Um prato de sabor intenso a mar que, apesar do sabor da ostra se perder um pouco no conjunto, abriu as hostilidades da melhor maneira.
Vieira e Cogumelo silvestre da estação num "À Brás" trufado com tosta fina de Pão Alentejano. Nem o meu ódiozinho de estimação às algazinhas verdes (de lata, pareceram-me) conseguiram tirar o brilho a um prato absolutamente fantástico. Uma delícia aveludada, com tudo no ponto, onde pontificava uma atraente vieira, num conjunto muito bonito. O meu favorito da refeição.  

Lombo de Borrego Merino assado, tagine de legumes primaveris, batata-doce de Aljezur com esferificação de Iogurte e Hortelã. Um prato de nome interminável (isto ainda se usa?) que estava uma maravilha. Aquela carne... O ponto, o molho... Jesus...



Tiramisu de Pistacho com Chocolate branco e Cerejas confitadas, gelado de Café e crocante de Chocolate Tainori. A fechar uma excelente refeição, uma sobremesa deliciosa e lindíssima. As cerejas davam um contraste precioso ao prato. Muito bom. 

No início de 2009 cruzei-me nas páginas do suplemento de imobiliário do Expresso com um inovador projecto em Montemor-o-Novo que me entusiasmou ao ponto de partilhar a notícia aqui no pasquim.
Era uma proposta original e pioneira que não deixava ninguém, que gostasse de vinho, indiferente.  Um lugar muito bonito, onde cada proprietário das 135 moradias que compõe a parte habitacional do L'AND Vineyards, tinha à sua disposição uma pequena área de vinha para produzir o seu próprio vinho. Um conceito de wine resort, arrojado, que me deixou a torcer para que desse certo.

Depois de algum tempo sem ouvir falar do projecto, há cerca de um ano fiquei muito satisfeito por saber que apesar de algumas alterações e ajustamentos à ideia original, o L'AND tinha vingado. O projecto tinha-se imposto, estava a trabalhar em pleno e até tinha acabado de lançar o seu primeiro vinho. Uma boa notícia e um prémio para quem teve a coragem de, em Portugal, levar em frente um investimento tão corajoso.

Agora, como se adivinhassem que eu era fan do projecto, por ocasião da apresentação do novo L'AND Vineyard Reserva Tinto 2010, tive a oportunidade de ir conhecer o espaço in loco.
E se a expectativa era alta, a verdade é que o primeiro contacto com a realidade do wine resort não desilude. Tudo impecavelmente tratado, uma paisagem de cair o queixo, os edifícios de design contemporâneo totalmente integrados na paisagem, o grande lago que refresca a envolvência e o verde da vinha a engalanar o conjunto. Modernidade e natureza em comunhão. Uma oferta de luxo.

O resort divide-se em quatro partes distintas. As vinhas, de onde saem as uvas para o vinho produzido na propriedade. O Hotel, com as suas 22 majestosas suites, muitas com uma janela no tecto para vermos as estrelas e onde os hóspedes são convidados a participar em várias actividades à volta do vinho. A zona residencial, onde cada habitação tem a sua própria vinha. E o edifício do núcleo principal, lugar central de todo o projecto, onde funciona o lobby, o restaurante, o spa e a adega, que é definitivamente o lugar mais emblemático da propriedade. Um espaço muito bonito, com uma decoração assente no calor de peças de inspiração africana, em fusão com o frio do design nórdico, uma combinação vencedora como facilmente se constata pelas fotografias.

Mas é do vinho que vive o conceito.
Foi disso, que numa breve intervenção de boas vindas, nos falou a directora comercial Marlene Tavares antes de passar a bola para o responsável pelo lado vínico do L'AND, o reconhecido enólogo Paulo Laureano. Foi ele, na companhia da enóloga residente Patrícia Baptista, que nos levou às vinhas para nos fala do trabalho que se está a desenvolver na propriedade.

O projecto assenta nos 5 hectares de vinha, nos quais estão também inseridas as pequenas secções de cada morador. Estes, quando adquirem as propriedades, têm a oportunidade de escolher que castas preferem para as suas vinhas, mas sempre com o aconselhamento técnico da equipa de viticultura e enologia. Há já  quem produza o seu próprio vinho e ainda compre mais uvas ao resort e outros que não o fazem e as vendem. Tudo é permitido, numa organização exemplar que resulta na perfeição.
Toda a restante produção é direccionada para o vinho da propriedade, o L'AND Reserva Tinto, que vai agora na sua segunda edição.
Paulo Laureano fala-nos do terroir e a influencia que este teve na escolha das castas a trabalhar. O foco é só nas castas tintas, Alicante Bouschet, Touriga Franca e Touriga Nacional e as castas brancas são compradas ao produtor Amoreira da Torre. A vinificação é feita na pequena, mas moderna, adega da propriedade.

Seguiu-se um almoço no restaurante do hotel, onde foi possível provar os vinhos e harmonizar com os pratos preparados pela equipa do jovem e muito promissor Chef Miguel Laffan, que depois de chefiar a cozinha da Quinta da Casa Branca, na Madeira, assentou agora arraiais no Alentejo para continuar a desenvolver o seu trabalho. E está de parabéns, pois a refeição servida foi de facto de alto gabarito. Apesar do intervalo entre os pratos serem (naturalmente) longos, todos os pratos chegaram com os pontos certos e com empratamentos de muito bom gosto. Uma refeição num patamar mais elevado que o habitual neste tipo de almoços de harmonização.

Durante a mesma foram provados os dois vinhos da propriedade, a primeira experiência do L'AND Vineyards Branco 2011, com Antão Vaz, Arinto e Roupeiro, que se mostrou jovem e fresco, e o novo L'AND Vineyards Reserva Tinto 2010, com Alicante Bouschet, Touriga Nacional e Touriga Franca, que estagiou 12 meses em barrica e mostrou-se, apesar de ainda jovem, uma complexidade e frescura que promete. Do tinto foram produzidas 6000 garrafas e por enquanto é comercializado em exclusivo na propriedade ao preço de 17€.

L'AND Vineyards
Herdade das Valadas,
Estrada Nacional 4, 7050 Montemor-o-Novo
Tel: +351 21 330 45 42/3
Email: info@l-and.com / reservas@l-and.com

Marcadores: , , , , ,